19 de jun de 2011

Minhas palavras surgem com som dessa música.
O grito é surdo, eu sei – se sei...
Mas, a voz que cantarola dentro de mim é clara
como o sol que brilha em minha janela.
Os donos das vozes que saem da pequena caixinha de som
talvez, sejam além de lindas - bregas.
Não sei sobre os outros adjetivos
que haverão de lhes dar, entretanto, fazem meu ser
repensar sobre os valores que tenho dado:
às pessoas, ao ar que hoje respiro, ao coração que
às vezes bate mais do que deveria,
aos amigos que me fazem sorrir numa mesa de bar,
aos flertes que me fazem crescer o ego,
aos galenteos, elogios, críticas, às dores que esmagam
E encobrem o que há de melhor em mim – a amizade
o respeito e o amor, que devo e deverei sempre
nutrir por mim mesma e pelo próximo.