30 de set de 2009

Educação para a sustentabilidade


Estamos numa corrente sustentável :
eu, a Cybele Meyer e outras pessoas
participe você também

Vivemos hoje sobre sob a linha tênue entre o correto e o incorreto em questões ambientais. Nosso planeta dá sinais claros de que não suporta mais o ritmo de consumo que imprimimos a poluição da terra, da água e do ar; chegaram a níveis tão altos que em alguns países e certas regiões alcançam níveis de poluentes que provocam deformidades e problemas gravíssimos de saúde para os habitantes locais e até mesmo aos que não residem ali.

Como tudo o que se faz aqui, nesta enorme bolha, reflete obrigatoriamente em toda parte, a sucessão de ocorrências catastróficas ligadas ao clima e ao meio ambiente, acabaram forçando a nós homens a repensar nossa forma de se relacionar com o planeta. Isso reforçou a criar e a fomentar uma consciência de que algo deve e precisa mudar.

E a essa mudança de mentalidade e comportamento diante de fatos tão significativos, deu-se o nome de sustentabilidade. Entretanto, não bastava que ficasse apenas no âmbito de pessoas ditas como físicas e sim fundamentais, que acontecessem num amplo modelo e para isto alcançaria às empresas, o ramo empresarial.

Muitos casos eu poderia citar aqui, mas vou ressaltar a BOVESPA que criou um índice para medir o grau de sustentabilidade empresarial das empresas que têm ações na bolsa: O I.S.E. – Índice de Sustentabilidade Empresarial; que acabou se tornando um importante fator para despertar o interesse de investidores nas ações de empresas que possuem políticas claras de respeito à responsabilidade social de seus empreendimentos, produtos e serviços. As empresas que se interessam em adotar o índice devem responder a um questionário de aproximadamente cento e cinqüenta questões relacionadas ao meio ambiente, atuação social, governança e seu envolvimento com a causa do desenvolvimento sustentável. E já existem trinta e duas empresas vinculadas ao índice cujo escopo e alcance devem aumentar consideravelmente muito em breve.

A sustentabilidade empresarial ainda não é um tema central em muitas empresas. Isso porque muitas corporações associam a idéia da sustentabilidade empresarial a um aumento nos custos de operação e nos preços de venda. Aos poucos, essa visão vai sendo revertida pela conscientização cada vez maior dos consumidores e a real pressão que esses grupos vêm fazendo sobre o mercado e, conseqüentemente, sobre as empresas. Fundamental se torna que, nós os consumidores, compremos a idéia e façamos uma grande promoção de esclarecimento e de cobrança consciente. É crucial que tenhamos consciência de que disso depende a própria sobrevivência.

Vale a pena ler sobre:

28 de set de 2009

Alguém em seu caminho


Novos caminhos sempre parecem longos. Mas, aquele era um pouco mais. Num dia como outro qualquer, com roupas não menos antigas e sem interesse, pairava no ar algo de novo para Lia, longe de imaginar ela caminhava pela noite.

Com um vestidinho leve, um tanto transparente, afinal era noite, sandálias mostrando só os dedinhos claros e certinhos como se tivessem saído de desenhos. Cabelos úmidos do banho a bem pouco tomado, lá estava ela, naquele caminho sem certeza alguma, sem direção, sem fim.

Caminhos assim incertos, sem rumo devem ser percorridos com cuidado, este companheiro fundamental das horas incertas. A noite fazia parte daquele cenário, expectativa de haver na lua um pouco de luz. Lia sentia uma carícia leve da brisa envolta pela claridade que fazia seu corpo ferver inexplicavelmente.

Havia em sua frente uma casinha com apenas uma luz acesa, se houvesse mais alguma ela não perceberia. Aproximou-se da pequena janela rodeada por uma cortina vazada e ali estava um vulto másculo, silhueta definida por exercícios contínuos e fortes. Naquele momento, Lia sentia todo seu corpo arrepiar diante da visão que lhe fazia vibrar. Num ímpeto, tentou fugir daquele lugar, mas seus pés fincados na terra avermelhada não saiam dali.

A cortina velha não se sustentava no lugar diante do vento e não demorou muito para que ele a avistasse. Seu rosto corou de vergonha e timidez, como se estivesse em flagrante delito. Baixou seus olhos numa tentativa de disfarçar o que já não conseguia. Em poucos minutos aquele homem de pele clara, cabelos despenteados e com poucas vestes estava ali, tão perto de Lia.

Seus olhos negros e profundos mergulhavam ao encontrar os dela, despindo-a de corpo e alma. Poucas palavras saiam daquela boca que se aproximavam como um vulcão prestes a derramar suas larvas. A impotência se apoderava daquele corpo que ávido, sem quê, nem por que, desejava com todo ardor aquele homem que jamais conhecera.

Num toque especialmente mágico seus lábios se encontraram e ali seria o lugar testemunha de um amor sem rosto, sem nome, sem hoje, nem amanhã.

Na manhã seguinte, Lia acordou e até hoje, não soube dizer a si mesma até onde não passou de sonho tudo aquilo que sentiu.

25 de set de 2009

Como você escolhe seus amigos





BLOGAGEM COLETIVA
EM COMEMORAÇÃO AOS 6 MESES
"COMO VOCÊ ESCOLHE SEUS AMIGOS?"



“Quem se vangloria de ter conquistado uma multidão de amigos nunca teve um.” Samuel Coleridge

Sempre estive perto ou bem próxima de pessoas, isso era chave para me sentir bem. Ter amigos era questão de vida. Não imaginava minha vida sem amigos e muitos, sim – eu os tinha e muitos.

Certa vez, ainda bem jovem, perguntei ao meu pai se poderia levar um grupinho de amigos lá em casa, isso porque meu pai era bastante enérgico e bravo com tudo que se relacionasse à criação. Depois de me olhar bem, respondeu que sim. Eu estudava no SENAC e estava cursando o antigo ginasial, conclui-se realmente que eu era pouco mais que uma criança. Antes de festejar a alegria de ter conseguido o que meus irmãos não faziam, eu fiz uma observação, não menos firme e exigente que o olhar de meu pai: eu apenas gostaria que tudo corresse em paz... Ele aceitou com a cabeça e assim, eu sai feliz já pensando em tudo que poderia ser feito.

O fato era que eu havia falado “um grupinho de amigos” e na verdade chegaram 25 amigos...Ufa! Alguns cantavam e sabiam tocar violão, jamais esqueci aquele dia, por diversas razões – recordo-me que um dos amigos tinha o apelido de Nelson Ned, pela voz e também por ter uma deficiência física!! Maldade da galera né? Mas, tudo foi muito bom e divertido. Como o grupo era heterogêneo, rolava um cuba libre entre os mais velhos e escapulia entre “nós” os mais jovens também.

Assim, eu via a parte que cabia aos meus amigos, dessa forma eu me sentia feliz. Sempre juntos e felizes. Uns ajudando os outros que precisavam.

O tempo passou. Muitos de nós se perderam no caminho. Outros amigos surgiram e o tempo se encarregava de amornar este sentimento, outrora tão quente e cheio de energia.

Hoje, um pouco mais experiente percebo que devo ter cuidados especiais no momento de selecionar amigos para entrar no rol de amigos de verdade. Não sou cética quanto ao assunto, apenas sei que eu mergulhava demais e me dedicava demais, sofria depois. Entretanto, posso contar a vocês que guardo com muito orgulho, dentro do peito, uma amizade ativa e feliz, ela se chama Marília – pessoa linda e amiga para todos os momentos e pasmem: eu a conheci criança, bem criancinha, fomos criadas juntas e até hoje nos lembramos de tudo que nos acontecia com riqueza de detalhes e rimos muito!! Temos filhos e netos – e a amizade prolifera a cada dia. Sentimos a falta da outra, estranhamos quando ficamos alguns dias sem nos falar.


Marilia
Dessa amizade ficou uma linda missão: para que a amizade dure e seja tão límpida e forte, é necessário que não haja cobrança alguma. É importante sabermos que cada uma tem sua vida e que não se mistura nessa amizade que vem bem antes de tudo que aconteceu! Impossível que coloquemos num mesm patamar, os sentimentos que nutrimos pelos atuais amigos, pelos filhos, marido e o nosso sentir.


Atualmente, destaco meus amigos “virtuais” ou algumas vezes nem tão virtuais assim... O fato é que estamos nos fechando e até nossas amizades, hoje, têm um foco e perfis diferentes. Sinto-me feliz quando entro aqui e vejo recadinhos carinhosos, ainda que eu não aperte as mãos e nem beije o rosto dos que me escrevem. Acho que é a falada “felicidade virtual”. É um sentimento gostoso e vivo, que somente nós experimentamos e acreditamos - os abertos à essa magia das telinhas.



Loucos e Santos
Escolho meus amigos não pela pele ou
outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem
o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das
diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem
da realidade sua fonte de aprendizagem,
mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos,
nunca me esquecerei de que "normalidade"
é uma ilusão imbecil e estéril.
Oscar Wilde



24 de set de 2009


Ainda que ligeiramente só
Eu sou feliz.
Talvez pela simplicidade
que só aprendi no caminho do amor.
Entrelaçada à inocência infantil,
ainda que eu não quisesse – seria feliz.


Sou feliz porque a calculadora que
Soma os valores nem sempre materiais
e a direção dessa felicidade
é o farol que ilumina minha vida.


Sou feliz na proporção da felicidade
que semeada por mim existe
E cresce com o mesmo amor



Eu sou feliz quando observo a fragilidade
De uma linda rosa, sua beleza e
na grandeza do seu diminuto existir,
deixa o seu perfume impregnado no ar.


Sou feliz quando percebo a ausência
De cobrança no sorriso da criança,
que a sua paz está na plenitude da pureza
na certeza da grandeza de sua alma,
velando o segredo de vida
e de amor, ainda que só.

23 de set de 2009

Ela


Ela se esconde atrás da sombra
Num deserto de pessoas sem amor
Na ausência da firmeza de alguém
Tão presente que se faz sumir
Diante de esperanças inexistentes.
Esconde-se em volta do desequilíbrio
Do pseudo-amante que apenas engana
A si e a todos que cruzam seu caminho
Ela é a mãe de quem se deita
No leito da vergonha, na rede,
Na brisa, no vento soprando inverdades
Vindas do pó dessa frondosa árvore
Nascida e nutrida por falsas ideologias
Curtida na dor da boa-fé
Conservada no caráter de quem
lhe estende a mão e opta
pela companhia da paixão
E se encontra nos braços dela
A solidão.

22 de set de 2009

Dormir aqui e acordar em outro lugar - Sonho

Tema proposto pelo blog Vou de Coletivo
para o mês de setembro


Acho que todos nós, em algum momento, ou lugar, deseja amanhecer em outro lugar. Nem sempre isso é literal, muitas vezes essa vontade pode acontecer para esquecer um fato desagradável, ou num melhor foco ansiando acordar nos braços de alguém que sentimos uma enorme saudade – o sonho dominou.


Acordei numa linda melodia de pássaros
Era a expressão real do sentimento de saudade.
Vontade de recostar minha cabeça em teu colo
e lá mesmo adormecer tal qual uma criança inocente.
O sol brilha e traz em seus raios a eterna lembrança do teu corpo, junta-se ao meu, aquece-me e revigora-me as energias.


Lembrei-me de ti e queria não mais sonhar,
receber teu afago e teu carinho

Esquecer que a melodia dos pássaros,
remete ao medo da saudade
que teima em ficar instalado em mim.



21 de set de 2009


Dia Internacional da Paz é celebrado em 21 de Setembro,
foi foi declarado pela ONU em 30 de novembro de 1981.


“Era uma vez algumas crianças que tinham um Sonho.
O Sonho delas era que, por Um Dia, apenas um, houvesse paz na Terra.
"Imagine", disse Johnny, "se o mundo experimentasse paz por um dia, talvez a paz prevalecesse."
"Mas há tantas lutas no mundo", disse-lhe Maria, "na nossa casa, nossa vizinhança e entre as nações."
"Sim", acrescentou Amir, "as pessoas não se respeitam, nem respeitam a Terra. Mas, talvez se o mundo tentar se unir por Um Dia, tudo possa mudar."
"Você acha que isso é possível?", perguntou Wei-Ling. "Você crê que o mundo deixaria de guerrear até mesmo por Um Dia?"
"Será que isso já aconteceu antes?", perguntou Kwanza. "Vocês sabem?"
"Eu já li uma porção de livros de História", disse Maya, "e todos eles falam de guerra, sobre uma nação conquistando outra nação, ou um grupo de pessoas ferindo outro grupo."
"Isso mesmo e parece que não importava quais fossem as razões", acrescentou Wei-Ling que, como as outras crianças, era bastante esperta para sua idade.
"O que faremos então?", perguntou José.
"Somos apenas crianças. Quem nos ouvirá? Os adultos sempre agem como se soubessem de tudo.", disse Ali.
"Mas qual foi a última vez que uma criança começou uma guerra?", indagou Kwanza.
"Você está certo", falou Maya, "não há nada na História que prove que uma criança começou uma guerra."
"Se isso é verdade", respondeu Maria, "talvez as crianças possam se unir para trazer a Paz Mundial! E então, unidas, as pessoas poderiam trabalhar em prol de uma vida mais justa para todos."
"Mas como faremos isso?", perguntou Ali. "Quem nos dará ouvidos?"
"Nossos pais nos ouvirão", disse Wei-Ling.
"E também nossa família e parentes", acrescentou Maya, que tinha muitos irmãos e um grande número de primos e tios.
"E outras crianças, elas nos darão ouvidos", falou Amir. "Afinal, falamos a mesma língua."
"Mas como faremos tudo isso?", clamou Kwanza. "Como criaremos um dia de paz?"
"Nós colocaremos na TV", respondeu Maya, "e anunciaremos no rádio."
"Escreveremos uma carta ao Presidente", acrescentou José.
"Acho que deveríamos pedir às Nações Unidas", disse Johnny. "Assim, o mundo inteiro teria conhecimento da nossa idéia de consagrarmos um dia à paz mundial. Mas que dia seria esse?"
"Espere um segundo, meninos", exclamou Ali. "Eu acho que já existe um dia consagrado à paz na Terra pelas Nações Unidas."
"Você está certo, Ali!", sorriu Maria. "Lembro-me que, quando fomos na excursão às Nações Unidas, ouvimos falar do Dia Internacional da Paz. Acho que é no Outono..."
"21 de Setembro!", gritou Ali. "Exatamente! O Dia Internacional da Paz já existe há anos, mas poucas pessoas ouviram falar dele..."
"Que tal se as crianças do mundo inteiro ajudassem a fazer do dia 21 de Setembro o maior Dia de Paz que já existiu?!", sugeriu Wei-Ling.
"Combinado!", declararam todos.
As crianças verificaram o Dia Internacional da Paz na Internet e descobriram que estavam certas. A Assembléia Geral das Nações Unidas havia passado uma Resolução pedindo ao mundo inteiro para realizar um Cessar Fogo Global e um dia de paz mundial nos lares, na comunidades e entre as nações, no dia 21 de Setembro. Imediatamente, as crianças começaram a trabalhar na campanha da paz mundial.
No princípio, a campanha começou pequena, com as crianças conversando com alguns amigos na escola e na vizinhança.
A seguir, espalhou-se por uma outra escola e mais outra. Mais e mais pessoas estavam falando sobre o "Dia Internacional da Paz, a 21 de Setembro" e o que poderiam fazer para celebrá-lo e contribuir a fim de que o Cessar Fogo Global fosse uma realidade.
Na escola de Maya, eles realizaram um concurso de cartazes sobre o "Dia Internacional da Paz, a 21 de Setembro". A escola de Kwanza realizou um concurso de redação.
A classe de Amir criou um Clube do Dia Internacional da Paz. Eles pediram ao Prefeito para declarar uma Proclamação da Paz a 21 de Setembro. Depois, escreveram ao Governador e pediram-lhe que declarasse uma Proclamação. Repórteres dos jornais, rádio e TV compareceram à escola para ver o Governador apresentar uma Proclamação oficial do Dia Internacional da Paz.
Este acontecimento fez com que a escola inteira se envolvesse [...]
[...]Este ano, com sua ajuda, o dia 21 de Setembro será o maior Dia da Paz que já existiu. Cada um de nós pode fazer a diferença!
Use sua criatividade para ajudar a compartilhar o espírito da paz no dia 21 de Setembro... o que você pode fazer em sua casa, sua cidade, seu país?
Lembre-se, a Paz é mais do que a ausência de guerra. É aprender a respeitar a si próprio, os outros e o planeta que compartilhamos. A Paz começa com cada um de nós, UM DIA de cada vez...

Que a Paz Prevaleça na Terra! “
Fonte: Cura Planetária
Imagem: Vera Maria Candau

20 de set de 2009

Uma carta para Mim



Hoje dia 20.09.09,estou participando da Blogagem Coletiva
da amiga Elaine Gaspareto,
Blog Um Pouco de Mim
O tema escolhido por ela foi :
Uma Carta Para Mim.
Parabéns Elaine,
por seu aniversário dia 14/09/
e pelo aniversário do Blog
Sucesso!
Passem lá e participem do aniversário do Blog.


"Aquele que conhece os outros é sábio,
aquele que conhece a si mesmo é iluminado" Lao TSE


Esta carta conta um pouco de mim. Fala de tudo e de nada. De amigos que tive e dos que nem conheci. Dos caminhos que quis pra mim e me perdi pela estrada. É preciso coragem para escrever essa carta, pois revela coisas de que nem sempre gosto de lembrar e aceitar que fraquejei tantas vezes e até me acovardei.


Cara e amiga Nil, Nilzoca, Nilzinha, M. Nilza, e tantas outras faces e nomes que recebes,
Já faz tempo venho pincelando, em minha mente, palavras para te fazer entender um pouco de tua própria história. Sei que é difícil, pois sempre tiveste dificuldades de traduzir tua pessoa e teus sentimentos, quando são mais íntimos e possam tocar-te a alma.

Percebo em ti certa prepotência. Não me leve a mal escancarar dessa forma, pois é a única que conheço para começar. És prepotente quando imagina saber dos companheiros humanos, mais do que sabes e deves saber. És prepotente quando confias no amor numa grandeza bastante superior ao que deveria. Entretanto, não te sinta triste por tais palavras, porque sabemos que te faltam maturidade e aquela pitada de maldade tão necessária para um envolvimento saudável.

Verifiquei, também, que no quadrado das amizades tens errado bastante o alvo. Confiando em pessoas que não te merecem, esperando muito, decepcionando-te bastante. Felizmente, teus olhos estão mais vivos, neste momento, a voz do sofrimento te trouxe às rédeas de que precisas para se amar e ser amada.

Tua vida não tem sido somente de erros e enganos, é verdade que tens feito progressos, mas se posso te dar um conselho o farei da maneira que aprendi:



Sei que não me conheces.
sabes o que e quem fui,
O que pensei.
Se sorri ou se chorei,
Conheces minha história.
Tua memória é minha, única.
Se aceitares o conselho
De uma velha amiga
Eis aqui o que te digo,
tu mesmo te dirias:
Viva teu presente.
esqueça teu passado
Teu futuro não importa
o que tu és – hoje te faz melhor.
Veja em mim tua melhor amiga
Acredite, somos uma só,
E ainda assim, não me conhecerás.
Ainda é tempo e que o tempo,
Esse velho companheiro,
Seja tão só teu amigo, brando.
Nem sei do que foste capaz
Nem mesmo do que entre nós persiste;
Nem do espaço que há entre mim e ti,
Que seja tal como eu sou e eu como tu és
Venha, conheça-me!
E que eu também conheça a ti.

18 de set de 2009


Ser diferente. Aprender. Decidir. Mudar.
Viver cada minuto. Abrir os braços.
Voar alto. Perder o medo. Cair e levantar.
Olhar e procurar por mim mesma.
Saber encontrar e o que fazer com tal descoberta.
Lembrar-me da vontade de ir em frente.
Correr na direção do vento e sorrir dos tropeços
Admirar o lago que reflete minha imagem.
Colocar atrás da orelha folhas secas pelo frio da noite.

17 de set de 2009

Mais um selinho carinho !



Este eu recebi do Marcone França do blog Cuidado por Deus, vou receber e responder escrevendo sobre perfume e cheiros.

Sou dessas pessoas que têm o sentido olfato apuradíssimo, tanto que certas pessoas dizem que tenho nariz biônico..rsss .Não creio, apenas sinto de verdade porque sou atenta de certa forma a todos os sentidos, inclusive a emoção que acrescentei a minha vida “didática” espontaneamente.

Gosto de perfume e cheiro bom em tudo. Dificilmente saio de casa sem tomar um bom banho, passar o meu perfume preferido e único – Paris de Yves Saint Laurent –




Teu cheiro é sedução,,
se faz mistura de amor e paixão,
nesta minha breve vida frenética.
No teu cheiro intenso, sinto o sabor,
que se dissolve em minha língua,
chega ao sangue e dispara o coração
Suor quente pelo amor fervilha
percorre meu corpo
Lambe minh’alma.

te cheiro
te sinto
te quero.

16 de set de 2009

Reflexão

Texto de Etty Hillesum
num campo de concentração alemão
que continuou compassiva ainda que em grotesca condição naquele lugar...

11 de set de 2009

Delírio


Imaginei.
Criei imagens intocáveis,
Sem piscar, busquei tua face.
Meus braços não alcançaram teu corpo.
Meus olhos, numa bela ilusão,
Viram apenas tua sombra.
Meus passos jamais cruzaram os teus.

9 de set de 2009

A dança das palavras

Desculpem a falta de tempo, estou em mais uma fase de um curso importante para minha vida profissional. Deixo um lindo texto para vocês!!


A dança de ter problemas é uma dança fácil
Ninguém gosta; Sequer admira.
Mas é fácil.
Talvez seja trabalhosa...
aprendemos na prática.
O que as horas nunca registram completamente.
Algo no tempo se perde.
Um olhar, uma resposta.
Palavras que não ouvimos bem.
Um sorriso de canto, seria um deboche?

Há coisas que nunca saberemos
Porque nunca perguntamos:
"Afinal de contas, o que você quis dizer com isso?"
Bom... o que importa?
Jamais falaríamos realmente a verdade.
Quem o faz? Quem?
Se as nossas intenções são sempre veladas
Cheias de máscaras e laquês.
Nossas palavras sempre saem maqueadas e com muito blush.
Suaves, entram nas narinas. Ecoam nos tímpanos alheios
Gravam seus sentidos nos confins de um cérebro.
Como evitar mal-entendidos?
Se nos compreendem mal...
e nós assim fazemos do mesmo modo.
Distorcendo e reelaborando o que nos dizem.

Problemas? Ah... esses são fáceis.
Mas escolha gestos para resolvê-los.
E atitudes firmes para eliminá-los.
Palavras? Estas só trarão ainda mais problemas.
Como evitá-las? Como?

É uma chaga mortal que nos persegue.
É um masoquismo voraz que nos invade.
Porque sofrer por elas é sofrer de amor...
Tão belo e tão doído... tão ideal.
Tão mágico.
IVANA SCHMITZ

7 de set de 2009

Premio Master !

Este Selo eu recebi da Keila - a Lobinha como adoro chamá-la,
dona do blog Os Uivo da Loba
Amiga de longa data nesse mundinho que de virtual já passa longe,
pois hoje conhecemos melhor as pessoas daqui, do que algumas que
olhamos nos olhos e ouvimos a voz. Keila é uma pessoa sensível,
um pouco mística e adora agradar com suas palavras doces.
Às vezes some e faz muita falta, pois, em tudo que há de bom
não aceitamos perder, em ficar distante por muito tempo e
ela é isso: uma pedrinha super lapidada e preciosa.
Obrigada Keila, mais uma vez.


Características - estas são minhas:

Sou filha do meio.
Fui rebelde e idealista sempre
defensora das causas complicadas
não gosto de perder, por isso sou muito determinada
amo ao extremo sempre, para todo o sempre!


Como tudo tem um preço, aliás nem tudo,
porque este premio diz que ter um blog bom não tem preço...
algumas regras foram incluídas:

1. Postar o selo
2. Colocar no seu post o nome do blog que te indicou ao prêmio
3. Escrever uma mensagem de agradecimento ao blogueiro que te indicou
4. Abaixo do selo descrever 5 características suas
5. Indicar o prêmio a 5 ou mais blogs para receber o selo

Chegou a hora de indicar, sou repetitiva neste argumento, pois acho que todos os blogs que seleciono para acompanhar são ótimos e merecem o premio MASTER,

mas, hoje indicarei:

1 - Olavo e seus Traços de um Homem
2 - Rangel do Alma Tua
3 - Louis Albert do Ausência Instável
5 - Julio Cesar Correa do Bala perdida

Os demais sintam-se indicados também.

5 de set de 2009

Blogagem Coletiva - Momento marcante em minha vida!

Blogagem Coletiva do Vidas Linha da Mylla Galvão

em comemoração aos 6 meses de vida!

Parabéns, Mylla!


Tenho uma experiência um tanto quanto vasta de marcos em momentos na minha doce vida!! Lembrar-me de apenas um é tarefa difícil, porém se é o que devemos fazer eu tentarei recordar de um dos mais marcantes.

Filhos marcam nossas vidas de uma forma que nem a eternidade pode relatar, diante disso os nascimentos de meus dois filhos lindos e queridos não podem contar aqui. Nem tampouco o de minha netinha que é das maiores razões da minha alegria hoje. Sigamos então...

Pessoinhas queridas, meu espaço gosta de falar em versos, poetizar como diz meu querido amigo Zé Carlos. Confesso que não sou boa em relatos e contos, até por essa razão escolhi um momento de amor que vivi com alguém, em algum tempo e lugar, sem data, sem noite e dia, sem preocupação com a aparência, apenas o perfume que pairava no ar de um forte desejo, quase incontrolável; de um abraço e um beijo que não deveria ter fim; dos olhos que se cobravam um sei lá o quê; das mãos que corriam nossos corpos numa busca gostosa e ávida de carinho, num desejo que fervia dentro de nós e aumentava aquela certeza de querermos estar ali, naquele momento, naquele espaço, naquela hora.

A despreocupação com cobranças fazia daquele momento algo mágico e verdadeiro. Aprendi muito neste encontro, porque ali não cabia passado nem futuro, contava o presente que ambos nos dávamos para nossas almas e nossos corpos, que se correspondiam numa frenética identidade. Vivi com gostosa doçura aquela ternura, um sentimento distante desses que me detinha nas formalidades. Fosse amor ou qualquer outro nome que se queria dar, não veio com censuras, havia loucura sim, nos movimentos das carícias que faziam dos minutos algo imensa e intensamente vivido.

Jamais esquecerei aquele dia e acreditem: não me lembro do dia, nem do mês daquele amor-momento que vivi em tão poucas horas. Não foi necessário, porque o melhor ficara dentro de nós, o gostinho de quero mais...

4 de set de 2009

A senhora liberdade!


A natureza da própria liberdade remete-nos á idéia de que podemos ser e fazer o que quisermos. Mas, será isso mesmo? Há de se falar também das limitações que nos são impostas - herança genética talvez; o metabolismo, questões quânticas onde somente eu mesma seria a observadora sempre presente...

Existem as influencias oriundas das doenças que vêm da alma que nos freiam e impedem de caminhar tantas vezes; os hábitos que nos escravizam; diante de tantos inibidores é que nos perguntamos: o que é liberdade?

O poder da conquista está no livre arbítrio, na vontade espontânea de cada um de nós e isso se dá quando acontece o processo de crescimento e caminha lado a lado com verdade.


“Rotineiramente desqualificamos testemunhos e exigimos comprovação. Isto é, estamos tão convencidos da justeza de nosso julgamento que invalidamos provas que não se ajustem a ele. Nada que mereça ser chamado de verdade pode ser alcançado por esses meios”.
Marilynne Robinson

2 de set de 2009