29 de jun de 2009

Carta aberta a um filho especial





Sabe filho, hoje amanheci pensando em como você apareceu em minha vida.
Apesar de ser num mês considerado “frio” no Rio de Janeiro, fazia calor.
O sol estava forte e brilhava feito o ouro. Aproximava-se do meio-dia e brotava em mim um sentimento jamais experimentado – o de ser mãe.

Mesmo muito jovem eu já tinha a noção da responsabilidade que me aguardava, sabia o quanto teria de abdicar de minhas preferências em favor do amor que já sentia por você. Fato que foi fortalecido ao sentir o calor de seu corpo e ver seus olhinhos que no primeiro momento me faziam lembrar do céu azul do dia. Com a pele avermelhada, demonstrando saúde, rosto com formato já tão conhecido pela família, você chegou e encantou a todos.

Hoje, já é um homem. Bonito, alto, de bom gosto, simpático e alegre. Sentimental na dose certa, amante inveterado trilha a vida com sede de conhecimento, vai em busca de um futuro melhor, corre sem cansar de um lado ao outro, como se cada segundo pudesse brotar o melhor dos momentos!

Hoje, divide seu espaço com outra pessoa e não poderia ser muito diferente de você, alguém decidida e companheira desse inquieto homem que entre tudo e todos, também já reserva uma boa parcela de amor a uma linda menina – sua filha.

Um enorme orgulho preencheu meu dia!
Um orgulho de ser mãe, de ser amiga, de ser a avó, de ser a sogra, de ser a companheira de alguém que o criou e amou como se fosse um filho, de ser a mãe de seu irmão que tanto o admira também.

Hoje, reservei para você este momento e permito sim, que você o divida com sua esposa. Agradeço aos dois por me permitirem um momento inesquecível.
Agradeço aqueles que trouxeram ao mundo uma pessoa que completasse você e com tanto zelo e carinho fizeram desse momento algo tão especial em nossas vidas.

Felicidades meu amor!


25 de jun de 2009

Drogas, fuja desse mal




“A polícia de São Paulo apreendeu 84,2 toneladas de drogas no Estado em 2007. Houve um aumento de 29% em relação a 2006, quando foram retiradas das ruas 65,5 toneladas de entorpecentes. Com um avanço de 78%, as drogas sintéticas lideraram o crescimento das apreensões. Foram 176 quilos no ano passado, contra 99 quilos no anterior.”

“O Brasil e os países em desenvolvimento fazem o inverso das nações do Primeiro Mundo. Nos países ricos, o crime organizado apostou na cocaína. Essa droga é imbatível na Europa e também nos Estados Unidos. Ela causa menos problema para os traficantes. Já as drogas sintéticas provocam mais overdose, parada cardíaca e ataque cardíaco, argumentou.”


“O Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (Unodc) divulgou ontem o Relatório Mundial sobre Drogas 2009, celebrando os 100 anos do combate internacional às drogas, em tom de comemoração, ressaltando que o mercado global de cocaína, de US$ 50 bilhões, sofreu abalos sísmicos, graças à cooperação internacional. A produção caiu 15% (a maior queda em cinco anos), o consumo caiu na maior parte dos países ou ficou estagnado. No Brasil, porém, o consumo da cocaína quase dobrou em três anos.”

Qual será a razão de dados como estes?

Porque será que um país tido como de pessoas “cabeça fresca”, o país do carnaval e do futebol estaria em destaque e num patamar preocupante no quesito: uso de drogas?

Pra onde estamos nós os “Brasileiros” caminhando?

Eu confesso que estou bastante distante de uma resposta ou mesmo arriscando uma opinião diante deste assunto. O fato é que dia-a-dia nos deparamos com casos maiores e com números alarmantes e nada vem sendo feito de concreto.

E o Brasil continua de braços abertos !!...

IV

Que boca há de roer o tempo? Que rosto
Há de chegar depois do meu? Quantas vezes
O tule do meu sopro há de pousar
Sobre a brancura fremente do teu dorso?

Atravessaremos juntos as grandes espirais
A artéria estendida do silêncio, o vão
O patamar do tempo?

Quantas vezes dirás: vida, vésper, magna-marinha
E quantas vezes direi: és meu. E as distendidas
Tardes, as largas luas, as madrugadas agônicas
Sem poder tocar-te. Quantas vezes, amor

Uma nova vertente há de nascer em ti
E quantas vezes em mim há de morrer.

PRELÚDIOS-INTENSOS PARA

OS DESMEMORIADOS DO AMOR.
Trechos selecionados: Poesia - Hilda Hilst


Queria esquecer a cor de teus olhos,
porque assim a saudade deles seria menor.
Queria não lembrar do tom da tua voz,
o teu jeito de falar, o sorriso lindo
que só vem de ti, queria tanto - mas não posso.
O que sinto por ti é
além de qualquer imaginação
.

20 de jun de 2009


Do tempo apenas memórias
Que passam escritas num eco
Por onde correm os ventos

Do tempo somente à volta
Renascida pelas folhas secas
Amarelecidas por ele – o tempo
Que passa...

Do tempo perde-se tudo
No infinito que o vento leva
Que passam pelas memórias.

Do tempo gravou-se nas paredes
Sujas e envelhecidas
marcas.
Vital do mesmo tempo.
Do tempo que vem e passa.


16 de jun de 2009

O amor não voa!

Estou eu aqui mais uma vez
A ouvir que é vital acreditar no coração,
Dar asas a imaginação.
Ler as linhas da razão.
Perfeito paradoxo razão-coração.


O coração grita por ti.
A razão preenche seus sentidos
Em harmoniosa oposição.
Paralelos traçados
Numa direção rumo ao infinito.
Numa longa viagem
Abro as asas da imaginação
Vôo longe e chego perto de ti
Lábios secos pelo vento
Ávidos de amor buscam os teus
A razão que viaja inflexível
Despreocupada com os movimentos
Que soam frenéticos no coração.
Dá de ombros e parte.
Soberana.
O amor não voa.
Vacilante, submisso e perdido.
Busca um porto pra ancorar
Cansado, esbarra nas muralhas.
Que a razão tratou de armar.





14 de jun de 2009

Assim, te quero

Faz-me pensar em ti,
Como pouco pensei em outro
Conheço-te?
Por mais que eu tente,
nada sei.

Quantas vezes eu quis me chegar a ti,
Saber de teus anseios e ilusões
Procurei tua alma,
as razões do teu olhar perdido
Em vão. És sempre intangível
como a madrugada,



Imenso como o céu translúcido,
Cintilante como a estrela à noite
Imponente como o sol que reluz no mar.
Permaneces indecifrável e tão amável.
Tens a mesma claridade,
que
ilumina e envolve os mistérios
que nela se funde
E nesse enigma que te vejo
Ainda sem saber de ti
te quero.


12 de jun de 2009

Nós, namorados !


Ele chegou diferente e não de repente
como todos grandes amores
que vêm, devastam as matas,
esmagam o coração de batidas fortes e incessantes,
trazem o frenesi de desejos e
horas de angústia num misto de amor e loucura.
Chegou de mansinho, e sem que eu percebesse
foi penetrando na minha alma tomou posse
do que há de melhor em mim.
Com palavras em forma de canção e gestos
guiados unicamente pelo coração,
atravessou mares de dificuldades,
ultrapassou a ponte da negação.
Ele não me falou de amor de repente
como fazem aqueles que não sabem o momento certo.
Foi falando de mansinho e entre risos, garfos e passos,
Foi nos envolvendo num livre e isento caminho.
O tempo passou e em balanços sob ventos fortes,
Ele estremeceu e sentiu as dores de afastamentos
e distâncias necessárias.
Em sua companhia veio o ser supremo
e diante deste venceu a corrida pela vida,
por este sentimento cultivado
a custa de lágrimas e sorrisos.
Fortaleceu a paciência,
instigou a perseverança
e fez do tempo elemento fundamental
na espera dos acontecimentos naturais.
E eu era apenas uma mulher comum.
Ele veio e me transformou fazendo de mim
Um ser melhor, alguém que pode e sabe se dar.
Suas palavras tomaram forma,
suas carícias tocaram minha pele
Agora não sou mais uma mulher comum
e ele é um homem especial.
Hoje, apenas temos um paraíso secreto.
Apenas temos a nós mesmos e
Ele é o homem que eu amo.

10 de jun de 2009

Amanhecer de mais um dia


Esta foto é real. Foi tirada às 6h da manhã do dia 20/08/2005.
Este fenômeno, só ocorre uma vez por ano.
Quem a tirou teve de ligar para o serviço meteorológico,
que lhe informou que ocorreria às 3h da manhã.
Ele então se dirigiu até à praia de Botafogo. Contudo,
teve de esperar até às 6h, qdo já estava clareando.
Acho que valeu a espera, não?!
(Presente de Lili Bort ao
meu grande amigo Zé Carlos)



E assim amanheceu meu dia.
Nem imaginava que ele estaria
de braços abertos pra mim.
Fiel e perseverante se firmava ali,
como se a espera de um Cristão.
Abri os olhos e pensei em
como o mundo tem mudado,
como os homens se esquecem
de suas promessas,
como ferem uns aos outros
sem constrangimento, sem ética.

Mas, ele não.

Continuava com seus braços estendidos
e chamava com os olhos, pedia sem falar:
Venha! Eu amo você.

Em suas palavras ,
mesmo que não escritas literalmente,
estavam o apelo,
a tranqüilidade de uma vida melhor
que só de nós dependeria,
apenas aos homens seria dado esse poder.
O arbítrio de ser livre
de ser o tutor de seus caminhos
a peça fundamental da edificação
de seu coração.

Nele não havia a cobrança,
o julgamento tão presente em nós.
Dizem que já faz tempo - anos
séculos e até colocam
um marco após sua chegada

– AC –

Mas, não percebo em seu rosto o cansaço,
as marcas do tal tempo.
Suas vestes foram ainda
recebidas por escambos,
mas guardam a sutileza
de uma moda que
não vem, vai e volta.
São lindas e sublimes
tal qual sua linguagem,
suas palavras,
suas advertências.
Cabendo a nós "a filtragem"
da verdade,
do perigo,
da fuga à única realidade:
O amor vence.
Eternamente
Para todo o sempre.

7 de jun de 2009

Um olhar na escuridão


Teu olhar tímido, meio tonto
De um jeito perdido,
só mesmo vindo de ti.
A mesma graça,
o mesmo ar, da mesma cor,
daquele que vi, ali
diante de mim e sorri


Em devaneios e danças me perdi.
Teus passos e rastros
Eu ficava a observar.
Teu jeito pensativo,
dúvidas no ar.
Meio do nada, surgia em ti
Uma tristeza suave.

Envolta num manto doce
Formava a beleza de teu falar.
Menino ingênuo e quase vulgar,
Repleto de poder,
de razão e sedução
Remexia-se tal qual
a luz na escuridão.

6 de jun de 2009

Parabéns , Meu amor!



Por mais que as atitudes dissessem o contrário,
E teimassem em nos afastar.
Ainda que a distância tenha acontecido,
E nos deixasse tristes e sem esperanças.
O maior dos sentimentos gritou,
Brigou e destruiu todos os obstáculos
Que ainda houvesse em nossos caminhos

Hoje, somos felizes por conhecermos
bem mais do que habita em nós.
Hoje, crescemos e fizemos desse amor,
Algo bem maior que a magia do desejo
Bem mais importante que a materialidade
Bem menos volúvel aos sujeitos deste mundo.
Hoje, o tom de nossos cabelos é testemunha.
De uma vida repleta de lutas e vitórias
O corpo cansado, aguarda por algo
ainda mais sublime.

Os olhos entristecidos tantas vezes,
Avistam atentos - o verde tão lindo na mata.
O vermelho da paixão das rosas
O branco que a paz traz em nossos passos
E o azul que o céu reflete em nossos dias
Permeados pela esperança de termos
Aprendido um pouco mais dessa
Grande Incógnita – a vida



Feliz Aniversário Meu Amor


5 de jun de 2009

Poema de purificação ao Dia do Meio Ambiente

Humor com responsabilidade.

Poema da purificação

Depois de tantos combates
o anjo bom matou o anjo mau
e jogou seu corpo no rio.

As água ficaram tintas
de um sangue que não descorava
e os peixes todos morreram.

Mas uma luz que ninguém soube
dizer de onde tinha vindo
apareceu para clarear o mundo,
e outro anjo pensou a ferida
do anjo batalhador.

Carlos Drummond de Andrade

2 de jun de 2009