28 de ago de 2011

Uma grande Mulher



É fundamental que se acredite que o sonho é possível.
Que seu céu e chão são seus maiores limites.
O tempo passa e não é somente para criar barbas
Deixar seus cabelos brancos e em sua pele rugas
que o tempo fez em sua homenagem – somente em sua...
Não há sofrimento desde que você o faça alimentar a sua coragem
Quero falar de pessoas que não usam esse tempo como escudo,
arma para lamentações e tristezas.
Quero falar dessa mulher que já é avó, venceu seus anos de trabalho
E hoje pode desfrutar de seus dias para sorrir e se fazer amar.
De uma mulher que vence desafios, destemida, que voa pelos ares
Na busca de liberdade, de prazer e felicidade – de um poder-ser
ilustrado pelo amor ao próximo, pelo carinho permeado pela força
e competência em todos os segmentos de sua via.
Hoje, essa mesma mulher dança, sorri e nos envia frases assim:



“Para quem não conhece, este era o meu professor de dança solta e que, por questão de horário, fui obrigada a deixá-lo. Sonho em retornar quando largar de vez o meu trabalho que já está bem próximo. Gente, vcs não podem imaginar como é gostoso fazer este tipo de aula e ainda mais com ele, que é animadíssimo e tem um astral fora de série. Divirtam-se com a entrevista.” Cel – Celina Studart de Lavander – bibliotecária há mais de 25 anos

Uma das poucas verdades absolutas é a fé e a perseverânça.
Não se perca procurando outras.
Mnilza
Ago. 2011

23 de ago de 2011

Paixão Escrava


Dos amores que tive e
em mim estão ausentes
O que sinto por ti escondido,
carente, vaga em tua indigência,
indiferente vivo a querer-te.

Desprezado ao relento, imenso.
Transforma-se em tormento.
Diante de um ódio aparente,
Fere-me com tua arma
e me deixa impotente!...

E por mais que eu tente
Não renego o sentimento
palavras saem da boca
a alma não sente e
o coração desmente.

Buscando a mansidão
A calmaria em meu coração
Torno-me ridiculamente
Escrava dessa paixão.


Postando em maio de 2006