22 de mai de 2011



Eu te vi por aí.
Encontrei teus olhos.
Senti tua respiração.
Ouvi tua voz que me soou tão doce.
Num momento meio perdido
Eu estava naquele lugar.
A desesperança cegava-me os olhos
Que me sobressaiam aos sentimentos.


Tua forma carinhosa e elegante de ser
Encantou o ar e num despertar

Notei tua presença leve e segura.
Assim, meus dias têm sido preenchidos:
De belas formas, de carinho, atenção.
Experimentei uma nova sensação,
por mim desconhecida.
Um querer claro, de cores menos fortes,
Mas, verdadeiras e sem compromissos.
Um querer que me faz tão bem,
Um querer que me cura de loucuras,
De atitudes passionais, de entender o amor
Inocente, maduro e puro
que não transpõe montanhas,
mas, é capaz de crescer em cada palavra
formada por sílabas tão bem cultivadas.