8 de dez de 2009

Negação


Desisto de tua face. De tua vida, viva!
Nunca mais seguirei teus passos
Largos e fugitivos.
Desisto de dar tempo à vida.
A luz clareia os destroços
E não vejo tuas mãos
Nunca mais amarei sem te ter
Porque eu amei como se fosses vivo
Amei tua glória, teu nome e suor,
Apenas sobrou tua ausência
Foste em mim o vulcão
Hoje, és negação, o rosto invisível
Desisto de me dizer não.

6 comentários:

angela disse...

Lindo e triste poema de amor e de desistencia.
beijos

Raquel Machado disse...

Oi tem selinho para você no post de hoje. Fique a vontade para recusar. Bjks. http://kriativa.zip.net

Marcone França disse...

Desistir do outro, apesar de trazar, em alguns caso, sofrimento, é certamente mais saudável que desistir de si mesmo.

Abraço!

Olavo disse...

Minha querida que lindo poema..triste..triste quando temos que desistir assim..mas lindo..

Posso usar em meu blog de poemas?dando os creditos claro.

Beijão

Tiago Moralles disse...

Não diga mais.
Apenas negue sua negação.
Simples assim.

Daniel Savio disse...

Poesia bonita, apesar de pensar que para o teu eterno amado...

E mesmo que ele tenha ido, ele ainda vive no teu coração, isto que é o importante.

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.