19 de out de 2010

Um fim assim


Pedaços de vida que foram rabiscados apenas para o seu prazer, em telas e papéis enviados, em envelopes usados, pequenos poemas e palavras um tanto sem nexo deixando de fora uma pessoa amargurada e complexa.

Pena que havemos de fechar as portas, colher as flores dos jardins antes que murchem de vezes; trancar a janela por onde olhávamos nos olhos e dizíamos palavras silenciosamente de ternura. Não. Hoje, restou-nos a amargo que cresceu nessa árvore que nutrimos sem preocupações e devidos cuidados. Frutos podres apareceram e contaminaram o resto da colheita...
Como num belo e lindo filme, cujo final choramos porque alguém morreu, não foi possível adubarmos nosso solo e fazê-lo firme para suportar as dores causadas por uma paixão sem chão...

Mnilza
29/11/2006

5 comentários:

Ana Maria disse...

Que triste amiga um final assim.
Uma ótima noite com harmonia.
Beijinhos iluminados!

orvalho do ceu disse...

Olá, Nilza querida
Paixão sem chão é tudo de ruim...
"...trancar a janela por onde olhávamos nos olhos e dizíamos palavras silenciosamente de ternura"... saudade sem fim...
Abraços fraternos com votos de paz.

Daniel Savio disse...

Bonita a poesia e um pouco triste, mas amor, que seja eterno quanto dure, senão me engano, palavras de Vinicios de Morais...

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.

orvalho do ceu disse...

Olá, Nilza queria
E para que permaneçamos com cuidado:
venho novamente para porpor-lhe algo no meu post de amanhã...
Conto com sua participação amiga.
Excelente semana,cheia de ricas bênçãos!!!
Abraços fraternos

Desnuda disse...

Querida amiga,

Natal Feliz junto aos que ama e um 2011 perfeito para você e os seus. Beijos com carinho.