22 de fev de 2011


É tarde.
Onde estás que não me vês?
Faz-se o silêncio e em que pensas que não percebo?
Chega o vento frio, o que te aquece, congelas?
Pintas de negro o céu e em que sonhas.
Põe-se a noite triste e o que te anima, sofres?
Estou aqui. Veja!
Em ti que penso, sinta!
Tua memória que me agasalha.
Com o teu beijo que sonho.
Nosso reencontro que me alegra.
Não sentes? Não percebes?
Não acreditas? Não queres?
Cheguei até ti como a brisa de Outono.
Talvez, apenas para dizer que te amo.

7 comentários:

Desnuda disse...

Bom dia amiga linda!

"Cheguei até ti como a brisa de Outono.
Talvez, apenas para dizer que te amo. "

Lindoooooo, M.Nilza!


Carinhoso beijo amiga

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Ai,ai. Vai chegando o outono e a gente vai ficando mais romântico,né? Lindo poema.Beijos

Sonhadora disse...

Minha querida

O teu poema entrou no meu coração...tão doce...tão terno este chamado de amor, adorei.

Deixo o meu carinho e beijinhos
Sonhadora

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Espero que a brisa de outono sopre no ouvido desse "sonso" e ele acorde... para o amor que lhe é dado. Parabéns. Beijos

Pérola disse...

Oi amada.
Que bom receber sua visita,fiquei feliz.
Vc deu uma sumidinha, já ñ te via por aqui a bastante tempo
Vc esta linda na foto do perfil,parabénsssssssssssss.
Poema romântico e infinitamente belo.
Vc esta lindona.
Beijokas millllllllllll

Daniel Savio disse...

Bonito, mas as vezes, este amor está dentro do nosso coração...

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.

Perola disse...

Oi amada,eu voltei com um blog novo pq o antigo foi denunciado.
Um beijo grande mulher maravilhosa.]