19 de mar de 2010

Loucos



Onde foi que aprendeste a me olhar assim?
Vá, toma, leva.
Emprestei-te um pouco, agora leva o resto.
Não tenho o que fazer com o que ficou de mim.
Amo minha loucura, tal qual a ti.



Encontrei alguém
ainda mais louco que eu.
E até escreves!...
Tuas palavras são tão eternas
Que eu poderia morar nelas
Ser cada letrinha de tua frase.
Me salva no teu computador,
Escreva uma história linda
Assim, vai matar-me de vez.
Nossa loucura junta nos salva.
Tu me salvas.
Ama o que há de pior em mim.
Então leva. Leva-me e não devolva.
Leva-me e construa um bar em ti,
Deixa-me embriagar até o fim.
Porque nada mais nos resta.
Eu te resto. Eu e nossa loucura.

Temos vida, um coração que ainda bate.
Temos nossa falta de juízo, nossas palavras,
Nossos livros, canções e uma imaginação sem fim.
Será preciso mais?




Recebi este selo da Angela do Blog Carinhos-Entremeios. Feliz eu ofereço a todos os seguidores deste blog que com tanto carinho deixam seus comentários aqui.
Obrigada Angela!!




3 comentários:

Daniel Savio disse...

E que todos nós achemos uma loucura assim para nos deixar feliz...

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.

angela disse...

Loucura boa essa...
beijos

Uma Mulher de Fases disse...

Oi Nilza, quanto tempo, estou tentando voltar à rotina do blog, muito bonito seu texto.
Loucuras assim fazem um bem!
Beijos