15 de jul de 2009

Eras Indecifrável

Eu não sabia como eras
Mas imaginava teu olhar.
Percebia teu jeito de andar
Até sentia teu cheiro no ar.
Dedilhava cada letra,
em cada momento.
Nos dias, se passava teu vulto forte
Embriagava minhas noites.



Num irremediável basta
Escutei tua ausência,
Aqueci a saudade num manto da verdade
onde tu não penetravas.
Substitui todos os desejos de ti
Por momentos reais e possíveis
Meu sorriso hoje é claro
Límpido como o céu azul
Nos dias quentes de verão.
Não sei navegar em águas mornas
Aprendi com o calor dos corpos vivos
Que a força do amor
Não existe sem o encontro
Sem o toque dos lábios
Sem a cumplicidade do olhar.

13 comentários:

Jana Banana disse...

AMo suas visitas, matam um pouco a sds que sinto,sabe? Vc é muito legal, uma pessoa boa demais, com um coração sem tamanho...obrigada por tudo!

Bjks, amo seus poemas

Márcia(clarinha) disse...

Verdadeiras palavras, constatação da saudade, da ausência do toque, da falta do beijo...doce amor.

lindo dia flor
beijos

Michelle Crístal disse...

Pele sem flor,me encantei pelo tema, logo os pés me enfeitiçou, depois o amor
beijos
Linda poesia

Pena disse...

Sensível e Maravilhosa Amiga:
Que poema rico do seu olhar doce repleto de afecto e amor escreveu.
Parece uma sonho de tudo o que, maravilhosamente, lhe vai no coração lindíssimo e puro.
Fabuloso. Lindo.
Excelente poesia de encanto.
Adorei!
Com imenso respeito.
Sempre a estimá-la e a lê-la atentamente pela beleza que expressa...
Beijinhos amigos
Maravilhado...


pena


Linda poetiza de sonho.
Contagiante e pura, a sua doce e franca amizade.
MUITO OBRIGADO!

Gislãne disse...

amei seu blog
virei seguidora
bjins

O Profeta disse...

Ao meu querer!
Dias noites, estações esquecidas
Inventei sonhos para sonhar
Lavei mágoas, dores perdidas

Uma árvore toca as águas da lagoa
O nevoeiro faz desenhos nas cumeeiras
Um Melro negro solta um pio ao acaso
A palavra quero-te diz-se de mil maneiras


Convido-te a ver a Cor da Claridade


Doce beijo

Desnuda disse...

Nilza,

aplausos! Voce escreve bem demais! Sensivel, leve e de uma beleza poética maravilhosa.


Beijos e lindo fim de semana!

citadinokane disse...

Nilza,
Tô chegando aí no teu Rio de Janeiro, amanhã de manhã e parto para Angra dos Reis.
bjs,
Pedro

O Profeta disse...

Este mar de fresco azul
Estas pedras sentinelas constantes
Estas ondas que adormecem nelas
Vieram do mundo em formas navegantes

O amargo das uvas verdes
Cede ao sorriso do astro rei
O doce invade os sentidos
E a ternura impõe a sua lei


Boa semana


Mágico beijo

Olavo disse...

Tem selo para vc lá no blog
Boa semana
Beijos

A.S. disse...

Nilza!

Vim deixar-te o meu beijo de saudade doce Poeta!!!


Beijos...
AL

Daniel Savio disse...

Aff, por que este poema me faz pensar no fim de uma relação?

Mas não adianta apenas um ser feliz, não é?

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.

M. Nilza disse...

Oi, Daniel!

Acho que seja o fim de algo que jamais começou, que tal? rsssssss
beijos e feliz por tantos comentários seus.