26 de jul de 2009

Vovó Feliz

Ultimamente, minha netinha querida você tem dado passos largos em direção à sua independência e crescimento pessoal. Já escolhe suas amiguinhas e os amiguinhos que deseja por perto. Determina que alguma coisa seja melhor pra você, questiona todos os posicionamentos que julga um pouco obscuro para seu entendimento e escuta com atenção as informações novas que lhe são enviadas.

Enfim, você já se intitula “pré-adolescente”. Eu assisto a tudo com um babador bem próximo e um olhar assustado percebendo o tempo voar como um supersônico – meu desejo seria de que o tempo parasse. Assim, eu me deliciaria com seus gestos ainda num tom de infantilidade e graciosidade típico de uma menina; dessa forma eu poderia olhar em seus olhinhos ainda ingênuos e inquietos, buscando em cada lugar, palavra ou pessoa a novidade que enriquecerá sua vida.

Hoje, seus brinquedos ficam num canto e seus dias são preenchidos por novidades eletrônicas, roupas diferentes e escolhidas por você, seus interesses envolvem assuntos que vão longe das histórias de fada, que me pedia para contar antes de dormir, ou aquelas em que eu inventava bem próximas de sua realidade e despertava seu interesse e sorrisos. Aquelas danças sem técnicas que eu arriscava para lhe chamar atenção ou lhe acordar, hoje estão sem graça. As mordidinhas na barriga que lhe faziam ficar sem fôlego, hoje são recebidas com um sorriso amarelo em que eu até consigo descrever como: pára vó, isso não tem mais graça!!

Saudosismo fora, saiba que estou demais feliz com essa menina-moça que surge em minha vida cheia de personalidade, educada e carinhosa. Dessa companhia que tenho com sua presença constante e pronta para outros momentos que chegarão e exigirão de todos nós uma dose de amor elevada, coragem e compreensão, e sei que teremos.

Amo-te menina linda da VÓ!
Poema de: Ieda Martins
Para sua neta: IEDA MARTINS DE CAMPOS.

Minha neta querida
Artista da família
Gatinha faceira
Princesa bela
Mimada dengosa


Ela acaricia sem temor
Com suas mãos inocentes
As vezes me torra a paciência
Com toda a sua agitação
De menina adolescente

Mas me toca o coração
Com sua pureza infantil
Quer sempre uma moeda
Pra um doce ir comprar
Não Sabe, me adoça a vida
Com seu jeito inoscente.








3 comentários:

Mai disse...

Olá, Nilza, e ser avó é o máximo e eu aprendo com meus netos e me sinto viva ao lado deles.
Eles me remoçam, me enchem de alegria.

Beijos, querida.

Jaqueline Sales disse...

Deve ser bacana ser uma avó romantica e antenada como você, Nilza. Valeu!!

Pelo seu trabalho blogueiro em benefício de uma net de amigos, tem selinho pra você lá nos Uivos da Loba, Nilza. http://osuivosdaloba.blogs.sapo.pt . Ficarei feliz se passar nos Uivos e pegar o seu, amiga.

BeijUuvooooooooooossssssssss da Loba

Pena disse...

Maravilhosa Amiga:
Tocou-me profundamente o coração. Fiquei sensibilizado pela sua ternura de avó doce.
Controla as suas deliciosas emoções com uma beleza pura.
Adorei o seu sentimento expresso de imensa beleza pura.
A nossa interioridade e, os possíveis gritos da Alma e coração, ficam para nós e para o nosso profundo ser. Sentir. Estar. Fantástica.
Simplesmente, lindo...
Beijinhos de admiração pelo fascínio que expande...
Com respeito...
Gosto muito da sua amizade...
É terna. Pura. Sensível e encantadora, sabia...avó fascinante...

pena

É linda...Adorei. Excelente!
Tem um blogue de delícia, magia e encanto, sabia?
Parabéns sinceros.
Qual o neto que não adoraria uma avó assim...?
Nem um, amiguinha fenomenal e gigante dos afectos.