16 de set de 2009

Reflexão

Texto de Etty Hillesum
num campo de concentração alemão
que continuou compassiva ainda que em grotesca condição naquele lugar...

7 comentários:

Adolfo Payés disse...

Bello pasar a leerte, Gracias por compartirlo..

Un abrazo
Con mis saludos fraternos de siempre..

Marcone França disse...

Tudo não vida depende de como olhamos, de como nos permitimos observar.
É como uma frase que gosto muito.

"Olha devagar para cada coisa
Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu.
Em cascalhos disformes e estranhos
Diamantes sobrevivem solitários."

Fábio de Melo

Abraço!

Marco disse...

Olá, Nilza.
Obrigado pela visita e o comentário no meu velho guarda-louças de antigas emoções.
Gostei muito deste texto. Especialmente como ele foi escrito e por quem.
Por ter representado o papel de um judeu, tenho me interessado muito sobre os padecimentos dos hebreus nos campos nazistas. De uma profundidade enorme este texto. Muito bem escolhido.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

angela disse...

Tem corações que são amplos.
beijos

Uma Mulher de Fases disse...

É Nilza, seria bom se todos tivéssemos a mesma calma, eu pelo menos precisava, mas nem sempre consigo.
Beijos

Marcone França disse...

Olá Nilza,
Voltei pra dizer que tem selo pra ti lá no Cuidado por Deus.
Abraço!

Daniel Savio disse...

Sabe que é engraçado, vai chegar a um ponto que vão achar que o Holocausto não existiu (mesmo sendo uma grande atrocidade na história humana)....

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.