2 de mar de 2009

Nada a ver

Dizem que tristeza não combina comigo.
Eu também acho que não combina, destoa até,
com o ser que habita em mim!
Mas com certa freqüência, por vezes sem motivo,
eu me pego sendo "triste".

Em casa, indo para o trabalho,
ouvindo música, lendo um livro, cantando
um vazio que corrói e descobre
a impotência, a inércia
É uma sensação rápida, logo passa.
Mas volta, ainda que eu não a queira.

Como boa pretensa atriz que sou,
não falo disso com ninguém.
Nem família, nem amigos.
Muitas vezes o isolamento atua como parceiro coadjuvante.
Juntos nos encontramos - entre cenas.
E no meio do nada e do tudo
Escutamos o silêncio de uma platéia imensa.
Que aplaude o desenrolar da cena de mais um dia.

As palmas, as vaias, a cortina fechando,
O disfarce que tão bem cai num palco.


5 comentários:

. fina flor . disse...

a tristeza também não combina comigo, querida, mas confesso que vez ou outra ela se apresenta.... normal, faz parte da vida ;0)

beijocas e boa semana

MM.

Codinome Beija-Flor disse...

Olha que me achei em sua cena, mesmo que só como figurante.
Embora triste é muito lindo o que escreveu aqui.
Bjos

Patty disse...

Acho que a tristeza faz parte da nossa vida assim como a alegria, são sentimentos humanos. Mas, ser alegre é melhor do que ser triste. Não é?

Um beijo e bom tê-la de volta!!!!

Nilson Barcelli disse...

Aparentemente a tristeza não combina mesmo consigo... mas acabou de a confessar... e publicamente... ainda que o poeta finja descaradamente...
Querida amiga Nilza, gostei do seu texto. Ele aplica-se a tantas pessoas alegres...
Beijo.

tossan disse...

Puxa, que texto grande! Maior ainda é aquela frase que diz que é melhor não ter filosofia nenhuma.
Alegria e tristeza caminham como a lua e o sol, nunca se encontram. Ainda bem! Bj