5 de ago de 2009

Ainda sobre as Cartas - mas de amizade

Fugindo um pouco do foco deste espaço que divido com vocês, a felicidade não permitiu que eu guardasse palavras tão carinhosas, apenas para mim. Uma amizade que eu cultivo há 25 anos ( Bodas de Prata para nossa amizade)

"MNB, minha Nilzoca,

Andei pensando, recentemente, em "coisas" da minha vida, em pessoas da minha vida, em lugares da minha vida e pude perceber que - nas melhores dessas lembranças - Vc estava sempre presente, muito linda, muito elegante, muito amiga e muito especial!

Embora nossos contatos, atualmente, não sejam muito freqüentes, isso não faz a menor diferença, pois são nossos corações - ligados para sempre pelos laços da amizade - que se unem e se unirão eternamente, nessa comunhão de almas que se conhecem desde sempre, através das nossas vidas.

É uma pena que eu, na minha pequenez assumida, nunca tenha podido corresponder à altura o seu apoio, a sua dedicação e o seu abraço reconfortante, oferecido na hora certa.

Mas sei reconhecer que, se hoje tenho a segurança do emprego na INFRAERO, devo-a a Você, meu robozinho, além de tantas outras coisas, diluídas no tempo. Deus a proteja e a todos que participam do seu círculo de pessoas queridas.

Desculpe, se não escrevi tudo o que queria, deveria e precisava (nem da forma como desejava!), mas só tenho computador no trabalho e esta turma, que está aqui, hoje, é barulhenta e inconveniente, e toda a hora interrompe por bobagens, me atrapalhando e cortando a linha de raciocínio.

Muitos, muitos beijos da sua amiga e irmã."
Maria Alice CR Teixeira
---------------------------------------------------
Resposta:
Obrigada amiga, sem palavras - apenas umas lágrimas de felicidade por ter dentre meus amigos pessoas como vc.
Beijos da amiga muito mais que irmã


4 comentários:

Jana Banana disse...

O amor é realmente lindo e surpeendente quando verdadeiro.
AMEI!

Bjks, saudades de vcs

Adolfo Payés disse...

Bella carta se siente mucho..

Saludos fraternos
un abrazo

Georgia disse...

Muito legal esse momento de reconhecimento na vida da gente.

Vim pousando de flor em flor e cheguei até aqui.

Um abraco

Natasha Dias disse...

Nilza querida o tempo de nossas vidas, quem determina é o modo que desejamos enfrenta-la... uns morrem jovens/velhos e outros velhos/jovens... cabe a nós escolhermos... Eu adoro receber suas visitas e gosto muito dos seus comentários...
Um grande beijo