4 de jan de 2010


Meu amor por ti teve exagero, paixão,
loucura, força e intensidade.
Se meu sofrer existiu,

foi de desespero de uma amante ignorante
de tal contra-senso!
Quando amava teu silêncio,
a tua ausência e aguardava teus beijos,
teus carinhos
Em teu corpo,

tua alma, tua aura.

11 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida
Lindo poema...esperamos sempre.

Beijinhos

Sonhadora

angela disse...

O amor é sempre um exagero.
lindo poema.
beijos

BANDEIRAS disse...

Qdo amamos , exageramos sem perceber, só quem tá de fora é quem vê.

Lindo poema, a imagem é deliciosa.

Obrigada pela visita em meu cantinho,

Bjs

Gislãne disse...

lindo poema
:)
bjos sinceros

Dalva disse...

Quando falamos de amor a poesia flui... lindo,lindo!

Bjs.

Vivian disse...

...muitas vezes confundimos
amor com paixão.

aí a dor dilacera...

feliz 2010, querida!

Nilson Barcelli disse...

Se a intensidade do amor fosse regulável, nós colocaríamos o ponteiro sempre no máximo...
Belo poema, querida aimga. Gostei imenso.
Beijos.

Desnuda disse...

Amiga,

tudo lindo: layout, poema e você! Beijos, com carinho.


* E não é elogio não. É constatação!

Luma Rosa disse...

Touchè!! Descobriu porque os amantes sofrem! Querem fazer da alma gêmea extensão dos próprios pensamentos, assim o silêncio pode ser algo brutal, esmagador da alma apaixonada!

Algum tipo de desespero não entendo - quem sabe a insegurança de perder o amor conquistado, pois se perdeu é porque não era pra ser e sim, o amor se fortalece e sempre vem mais forte!!

Feliz 2010!! Beijus,

Daniel Savio disse...

Sempre somos cheio de incoerências, querer algo que não devemos, por exemplo, mas as temos saber o que realmente queremos viver em nossa vida...

A tua poesia está bela.

Menina, eu vi o teu comentário para participar da promoção, mas ando meio afastado deste tipo de participação nos blogs, você me desculpa se eu recusar?

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.

angela disse...

Brilhante!
beijos