30 de jan de 2010



Eu...
Sou veleiro a deriva, sou mar.
Sou solidão... Sou festa no sertão.
Sou terra fértil, chuva fresca,
Sou nascente, fogo ardente,
Águas claras - nasço e broto
em qualquer chão.
Sou guerreira, sou valente,
determinada.
Liberdade?
Primeira cláusula em minha lei
Vento, brisa, reviver.
Sou medo, sou desejo,
Sou sobrevivente.
Sonho encantado,
Amor inacabado,
O beijo mais sonhado, e não dado...
O abraço demorado e apertado,
Que sonhei e não realizei.
Sou o sono dos justos,
Sou a noite enluarada,
cantoria afinada,
Sou a tua projeção.
Sou sorriso e sou lágrimas.
Sou começo, eu sou fim.
Sou momento, sou fascínio
Sou triste e feliz...
Verdadeira e eterna contradição.

9 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida
Belo poema, onde o sim e o não se conjugam.

Sou sorriso e sou lágrimas.
Sou começo, eu sou fim.
Sou momento, sou fascínio
Sou triste e feliz...
Verdadeira e eterna contradição.

Adorei

Beijinhos
Sonhadora

Daniel Savio disse...

Amor verdadeiro nunca se deve acabar...

Só contradição quando o teu coração pede.

E gostei da foto esquerda baixo de ti (a união das quatros fotos)...

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.

.Leonardo B. disse...

[determinadas as palavras, que se rendam as emoções; poeta tem deveres, mas também garantias!]

um imenso abraço,
com carinho

Leonardo B.

Srta Butterfly disse...

Bela POetisa, dona de lindas palavras, sentimentos distribuidos, divididos, com plateia encantada...

Beijose borboleteios

Multiolhares disse...

Nós somos mesmos feitos de dualidades assim é a nossa essência
beijinhos

Jaqueline Sales disse...

Como sempre, um belo poema exposto em maravilhoso jogo de emoções. E voce está ficando boa nisso, Nilza!

Beijooooooooooosssssssss

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Somos todos contradoções. Sal e açucar, amargoe doce.
O mais importante voce citou lindamente acima

"Liberdade?
Primeira cláusula em minha lei"

É o iniicio de tudo.
A maior lei.
A principal meta.

Beijo

Luma Rosa disse...

Somos parte da natureza e como tal, para preservar o equilibrio, amargamos de ter o medo, a solidão... sentimentos que à primeira vista podem parecer negativos, mas que bem aproveitados, expoem a valentia, o desejo, a liberdade... sentimentos que nos fazem íntegros e humanos! Beijus,

Desirèe Parisot disse...

Poema lindo, cheio de sentimentos, dá quase par sentir quem é você.

Parabéns.

Beijo.