14 de jan de 2010

Vem


Quem haverá de me deter,
Se em meus pensamentos
flutuam pequenos seres
Minh’alma cansada
percebe e inerte observa
os movimentos que
quererem falar e
vil vem me excitar?


Quem haverá de me deter,
se tudo que quero é tão pouco
ínfimo diante de todo desejo,
que disfarço nesse corpo louco
pequeno, insano - forte eu
sei , mas, em flagelos vira diante
dessa paixão que chega e devora
nem percebe a hora
de por fim, nesse sonho
que dorme em mim?...
Republicação: 23/05/2006

8 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Quem pode deter um coração sedento.Um corpo ávido. Quem poderá deter o desejo? Lindo, gostei da intensidade. Beijos. Parabéns

angela disse...

Ô meu! que dó que dá ter tanto pulsar.
beijos

Zé Carlos disse...

Nunca ninguém te deterá, minha manina linda.... Vc é aquela mulher especial, sem troca ou substituição, vc é única.

Bjs do teu fã....

Dalva disse...

Uau! Paixão pura!

Bjs.

SAM disse...

Huauuuuuuuuuuuu, maravilha!!! Isto é VIDA, Nilza. É um luxo ler as suas poesias, talentosa amiga.

Carinhoso beijo.

Mylla Galvão disse...

Mto intenso este poema Nilza!!!
Tanto qto belo!!!

Sobre o Amaranto:
Lojas de produtos naturais...
Por aqui em Viçosa tá 12,00 o pacote com 200gr em grãos!!!

bjão

Marisol disse...

A Paraíba tem seus encantos .
João Pessoa é uma das capitais mais tranquilas do Brasil e o Bolero de Ravel é uma emoção sem igual .
Se vier , conhecer O Nordeste não irá se arrepender , porque somos muito acolhedores e hospitaleiros .
O meu estado , o Rio Grande do Norte , também é lindo . tem muitas belezas naturais .
vEJA BEM VINDA , AMIGA !!!

Daniel Savio disse...

Quem disse que o infimo desejo não pode leva a mais?

Fique com Deus, menina M. Nilza.
Um abraço.